sábado, 5 de novembro de 2011

PROJETO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO. (AEE)

COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO/ PIRITUBA.

EMEI '' NOÊMIA IPÓLLITO. ''

Ano Letivo: 2010.

PROFESSORA: Elaine Cristina A. de Carvalho Leal

PROJETO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL
                     ESPECIALIZADO. (AEE)

I-               JUSTIFICATIVA
O presente projeto justifica-se, partindo do entendimento de ações de acompanhamento e atendimento aos alunos portadores de necessidades educacionais especiais, matriculados nesta Escola, como integradas às ações educativas e inseridas na construção curricular da Unidade Educacional, com o compromisso de reverter o quadro de exclusão escolar ocasionado pelas limitações físicas, sensoriais e intelectuais dos alunos e das precárias oportunidades de assessoramento das respectivas famílias.
As ações de Atendimento Educacional compreendem o trabalho contínuo e articulado da Professora em questão com os demais Professores, nos momentos de planejamento, estudo, análise e elaboração de propostas de intervenção pedagógica, mediadas pela Coordenação Pedagógica.

II-           OBJETIVOS
·      Favorecer a participação dos alunos no processo de desenvolvimento das competências de observação, conhecimento, compreensão e comparação, por meio de intervenções pedagógicas que assegurem a construção das habilidades operatórias na Educação Infantil.

III- AÇÕES
  • Elaborar, desenvolver e registrar todas as etapas do projeto “Atendimento Educacional Especializado”, junto aos Professores e Familiares, em diferentes momentos da ação educativa, considerando os interesses e as necessidades de aprendizagem dos alunos.
  • Elaborar ações de Atendimento Educacional Especializado em conjunto com os Professores das classes regulares, tendo como foco uma ação integrada a favor da aprendizagem desses alunos.
  • Propor à reorganização dos tempos e dos espaços, em diferentes horários e ambientes educativos, de modo a favorecer a ação educativa, a integração dos grupos e o atendimento às especificidades dos alunos.
  • Participar do estudo, análise e elaboração das propostas para a intervenção pedagógica necessária, em conjunto com o Coordenador Pedagógico da Unidade e com o coletivo de Professores;
  • Organizar uma proposta semanal de trabalho, estabelecendo horários de atendimento aos alunos e às suas famílias para acompanhamento, apoio e orientação;
  • Estimular e controlar a freqüência dos alunos e, quando de suas ausências, solicitar justificativa dos pais ou responsáveis.
  • Análise, discussão e sistematização das ações como constitutivas da prática educativa;
  • Elaboração de formas sistemáticas de registro e acompanhamento da prática educativa.
  • Promover uma avaliação sistemática e continuada do Processo de Atendimento Especializado dos alunos atendidos.
  • Estimular a freqüência e a participação dos alunos nas atividades propostas no AEE.
  • Utilizar os diferentes recursos e espaços disponíveis na Unidade Escolar.
  • Definir intervenções pedagógicas, durante as aulas, necessárias à superação das dificuldades detectadas partindo de atividades significativas, diversificadas e específicas do ciclo da Educação Infantil, tais como: sensibilidade tátil, acuidade auditiva, motricidade e a dinâmica da inteligência cinestésico- motora, além da audição e do paladar.
  • Integrar os pais e responsáveis, no trabalho desenvolvido no AEE, buscando participação e colaboração na freqüência e acompanhamento das atividades dos alunos atendidos.
  • Propor estratégias que favoreçam aos alunos a oportunidade de construção de habilidades básicas, facilitando o desenvolvimento cognitivo, através da identificação dos possíveis problemas e barreiras pedagógicas, através de registros individualizados de avaliações realizadas durante os atendimentos, proporcionando ao aluno a apropriação de um ambiente de aprendizagem rico, aprimorando as habilidades naturais de cada criança.
PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
  • Partindo do trabalho de construção dos diferentes tipos de habilidades: observação, conhecimento, compreensão, comparação, separação, reunião, consulta, conferência e habilidades sociais, atuarei como mediadora do processo de construção e aprimoramento dessas habilidades, por meio de jogos e atividades lúdicas, fazendo uso das linguagens possíveis.
  • Organização de projetos mensais e/ ou bimestrais, visando o desenvolvimento de habilidades físicas, perceptivo motoras, atenção, concentração, localização espacial específicas para o bom desempenho social, afetivo e pedagógico dos alunos, contextualizadas com temas abordados no Projeto Pedagógico da Escola.
  • Redimensionamento das ações do Atendimento Educacional Especializado, partindo das necessidades que forem surgindo, no decorrer das intervenções pedagógicas propostas e das necessidades apontadas pelos Professores dos alunos envolvidos.
III-       RECURSOS
  • Sala de Informática, Sala de Literatura, Salão, Quadra, Parques e demais dependências da Unidade escolar, com todos os recursos disponíveis: jogos, livros, material escolar e brinquedos educativos.
IV-          DESENVOLVIMENTO
·      O desenvolvimento das atividades com os alunos será feito em pequenos grupos de quatro alunos, em duas horas /aula de quarenta e cinco minutos divididas em três dias na semana. Sendo que cada grupo será atendido em cada dia em uma hora/aula, perfazendo um total de doze horas/aulas na semana.
·      O cronograma de atendimento será dividido da seguinte forma:
·      Cada grupo terá quatro alunos, respeitadas as condições de desenvolvimento e participação nas atividades de cada criança, num total de vinte e quatro alunos.
·      Os grupos serão formados de acordo com a necessidade de intervenção de cada criança, a idade, os apontamentos dos Professores das salas e a linha de tempo das rotinas estabelecidas pela Escola.
·      Os critérios adotados para o Atendimento Educacional Especializado (AEE), foram discutidos com a Coordenação Pedagógica e o grupo de Professores, ficando estabelecidos os seguintes aspectos, na seguinte ordem de prioridade:
·      Alunos portadores de necessidades educacionais especiais, com laudo médico e limitações físicas ou sensoriais;
·      Alunos portadores de necessidades educacionais especiais, com laudo médico, sem limitações físicas ou sensoriais, porém com transtorno de desenvolvimento;
·      Alunos portadores de necessidades educacionais especiais, sem laudo médico, porém com laudo pedagógico apontando dificuldades no processo de desenvolvimento neuropsicomotor e linguagem.

II-           AVALIAÇÃO
·      A avaliação dos alunos será realizada através de sondagens periódicas, através da observação dos desempenhos pedagógicos e sociais na realização das atividades propostas.
·      A avaliação do projeto do AEE será realizada pela Equipe Escolar verificando a funcionalidade do mesmo, em relação aos alunos atendidos.

III-       REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • FERREIRO Emília. Reflexões sobre alfabetização. São Paulo, Cortez.
  • GARCIA, Regina Leite. Alfabetização dos alunos das classes populares. São Paulo, Cortez.
  • LAJOLO, Marisa. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. São Paulo, Ática, 2001.
  • WEISZ, Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo, Editora Ática, 2001.
  • FRUG, Chrystiane Simões. Educação Motora em portadores de deficiência. Editora Plexus, 2001.
  • ANTUNES, Celso. Trabalhando Habilidades- Construindo idéias. Editora Scipione, 2002.
  • LORENZINI, Marlene V.. Brincando a brincadeira com a criança deficiente: novos rumos terapêuticos. Manole Editora, 2002.
  • PICO, L. e VAYER, P.. Educação Psicomotora e Retardo Mental- 4ª edição. Manole Editora Ltda., 1988.
  • WADSWORTH, Barry J. . Piaget para o Professor da Pré- Escola e 1º Grau- 3ª edição. Biblioteca Pioneira de Ciências Sociais, 1989.
                                     Profª Elaine Cristina Alves de Carvalho Leal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário